ANCINE autorizou R$ 800 mil para documentário sobre terrorista que matou militar pelas costas


Documentário GALERIA F, coproduzido pela Globo, estreia hoje, 31 de março.

559168858

Theodomiro4A ANCINE, agência de fomento às produções cinematográficas – mais conhecida como o escritório de propaganda do Partido Comunista do Brasil, o PC do B – autorizou a captação de quase R$ 800 mil para a produção do documentário GALERIA F, que conta a história do terrorista e ex-militante do  Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, Theodomiro Romeiro dos Santos. O processo na ANCINE é o 01580.043795/2014-33, produzido pela 70 Filmes e pela Rede Globo. A data da estreia, hoje, dia 31 de março de 2017.

Em 1970, na ação de captura dos terroristas que haviam assaltado uma agência do Banco da Bahia, agentes da segurança nacional prenderam Theodomiro nas ruas de Salvador e o colocaram no banco de trás de sua viatura, ele aproveitou-se do descuido dos agentes que não revistaram a pasta onde ele carregava um revólver, e, no momento em que os oficiais deixaram o veículo para capturar um comparsa seu, sacou a arma alvejando-os pelas costas. O sargento Walter Xavier de Lima foi assassinado covardemente por Theodomiro, tendo um dos tiro atingido fatalmente sua cabeça.  Um outro agente chegou a ser gravemente ferido, mas não morreu.

Theodomiro2Na ação do assalto ao Banco da Bahia, também em 1970, o grupo de Theodomiro foi preso com: 1 pistola Argentina da marca “Ataque”; 1 winchester 44; 1 pistola alemã Luger 9mm; 1 pistola Mauser; 1 espingarda “Urko”; e 3 pistolas Taurus 38. O dinheiro do assalto seria utilizado para o sequestro de um diplomata americano. A prisão de Theodomiro se deu no exato momento em que ele recebia de comparsas o fruto do roubo ao banco para viabilizar o sequestro.

O terrorista chegou a ser condenado à pena de morte pelo assassinato do militar (pena prevista na Lei de Segurança Nacional vigente à época para crimes que resultassem em morte), a qual foi comutada por prisão perpétua pelas instâncias superiores da justiça militar e que, revisada mais uma vez, a fizeram substituir pela pena de 30 anos prisão e que, ainda, em um terceiro recurso, foi diminuída para 17 anos.

Mas Theodomiro se recusou a cumprir todo o tempo de prisão na cadeia. Ele arquitetou e executou um plano de fuga em 1979 que o levou a Paris, retornando ao Brasil após 1985, quando foi anistiado. O ex-terrorista ainda se formou em direito e se tornou juiz da justiça do trabalho brasileira.

A vida de qualquer presidiário do Brasil de hoje é mais difícil do que a de um terrorista homicida submetido à justiça do “temível” período militar da década de 70. Os velhinhos da justiça militar eram verdadeiras “vovozinhas”. Mães geralmente são mais severas.

Além de uma série de benesses recebidas, Theodomiro  ganhou, por decisão da Comissão de Anisitia em 2011, o direito de contar os períodos que passou na prisão pelo assassinato do agente Walter e o de foragido em Paris como tempo de contribuição de serviço público na carreira de juiz para a previdência. Hoje ele é aposentado com todos os benefícios da carreira. Veja o ato da Comissão da Anistia.

O MINISTRO DE ESTADO DA JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais, com fulcro no artigo 10 da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002, publicada no Diário Oficial de 14 de novembro de 2002 e considerando o resultado do julgamento proferido pela Comissão de Anistia, na 4ª Sessão de Julgamento da Caravana de Anistia, na cidade de Recife – PE, realizada no dia 30 de setembro de 2011, no Requerimento de Anistia nº. 2011.01.68963, resolve: Nº 2.772 – Declarar THEODOMIRO ROMEIRO DOS SANTOS,  anistiado político, e conceder a contagem do tempo de serviço, para todos os efeitos, do período de 27.10.1970 a 05.10.1985, nos termos do artigo 1º, incisos I e III da Lei nº 10.559, de 13 de novembro de 2002.

Pouco após se aposentar na carreira de juiz do trabalho, Theodomiro foi homenageado pela ANAMATRA, a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho, que produziu um filmete em que o pinta como um herói da liberdade e da democracia, ilustrando a ideia com as imagens de outros conhecidos terroristas e assassinos, como Carlos Marighela, chefe da organização terrorista ANL. Veja bem, é um vídeo assinado por uma associação de juízes – Sim, leia de novo. É isso mesmo que você leu!Theodomiro3

Mas há males que vêm para o bem. No tal filme da ANAMATRA consta o testemunho da irmã do ex-terrorista e de seu companheiro de prisão, que descrevem o ambiente do cárcere como algo nada parecido com o que costumam relatar nas declarações oficiais quando se dirigem à Comissão Anistia pedindo por indenizações. Emiliano José, que cumpriu pena com Theodomiro, afirma que ele saía da cadeia quando bem entendia, e foi essa confiança que lhe davam os guardas da prisão que possibilitou a sua fuga. A irmã conta ainda sobre as visitas à prisão como momentos de muita descontração e festa. Só resta uma pergunta: em que parte da história Theodomiro foi torturado? Quando foi recebido com leite com nescau ou quando nas festas com a companherada? Veja o filme.

 

Theodomiro1Interessante que os terroristas da época se diziam vítimas de uma fortíssima repressão por parte do governo militar. Contrariando essa tese, um jornalista do Correio Braziliense que entrevistou a viúva do sargento Walter, publicou uma nota em 1971 dizendo que ela e os filhos tiveram que se mudar da sua residência e passar a viver sob proteção policial por terem recebido mensagens com ameaça de sequestro e morte de seus dois filhos menores.

Procuramos também por indenizações em nome da viúva e dos filhos do sargento Walter na lista da bolsa-ditadura. Nada de viúva ou filhos de militar.

Anúncios

2 comentários

  1. Meu Deus…
    Esse é o país onde os bandidos de ontem são os “heróis” de hoje. Esses mesmos comunistas filhos da puta do passado escreveram a constituição e estão no poder hoje.Realmente é difícil viver num país desse.
    É preciso força, pra não desistir, força e paciência.

    Curtir

  2. Isso apenas evidencia que a ANCINE continua dominada por comunistas.

    A Agência Nacional do Cinema (Ancine) é um órgão oficial do governo federal do Brasil, constituída como agência reguladora, com sede na cidade de Brasília . Portando é custeada com o nosso rico dinheirinho.

    Curtir

Comente aqui

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s